Groover Música

Lista: Descobertas da plataforma Groover

Lista: Descobertas da plataforma Groover
Reprodução Divulgação

Selecionei algumas canções da plataforma Groover que você não pode deixar de ouvir, confira abaixo:

1 – Polycool – ‘Please Babe’: Polycool é, acima de tudo, um projeto independente e absurdo. Um suporte para o estranho universo dos músicos, que marca os espíritos apesar da sua complexidade. Sua imprevisível capacidade de surpreender também se reflete em seus shows e vídeos. Seu estilo musical, uma estranha mistura de várias influências, incluindo Unknown Mortal Orchestra, Air, Sebastien Tellier, Nick Hakim, Connan Mockasin deu origem ao seu álbum de estreia Lemon Lord, uma cosmogonia ácida em novembro de 2019. Polycool foi programado no We Love Green 2020 e Printemps de Bourges 2019, e suas faixas foram transmitidas na Radio Nova, Fip, France Inter, Les Inrocks, entre outras.

2 – Colver – ‘You (Are Something New)’: Após a pausa, a renovação? Porque se Colver recentemente derramou sua mágoa com seu single anterior “If It Ain’t Love”, ele assina com “You (Are Something New)”, uma balada com sons tipicamente pop de quarto que presta uma bela homenagem ao início de um novo relação. O título, surpreendentemente honesto, deve tranquilizar mais de um: sim, há um depois! Esta faixa foco promete um álbum pop, feito na Bélgica, ensolarado e sedutor.

3 – Wildy – ‘Antidote – Remake’: Wildy é uma artista, compositora e produtora norueguesa de 27 anos, apaixonada por música e por cantar a vida inteira. Wildy escreveu sua primeira música quando tinha 9 anos, e seu desejo de compor só ficou mais forte desde então. Ela descreve suas canções como seu diário e uma maneira de expressar emoções cotidianas por meio de letras simples, mas profundas, acompanhadas por melodias cativantes produzidas por ela mesma. No início de 2020, ela pegou seu novo home studio e rapidamente se tornou uma promissora produtora autodidata. Isso levou a seus primeiros lançamentos em 2020, “Camouflage”, “Shiver” e “Friends Rather Of Strangers”. Com um total de 11 singles e um EP lançado desde 2020, o futuro musical parece brilhante para o jovem talento. Tendo obtido suporte da lista de reprodução editorial do Spotify em seu single mais transmitido, “Friends Rather of Strangers”, e conquistado um lugar na semifinal na categoria Pop/Top 40 do Concurso Internacional de Compositores de 2020 com “Never Run Out Of Love”, e com muito mais ideias em andamento, Wildy sem dúvida contribuirá muito para o mundo da música pop no futuro. Wildy está orgulhosa e animada em compartilhar sua música com o mundo e acha que ela tem uma mensagem que ressoa com muitas pessoas. Ela tem muitas esperanças e sonhos para o futuro, e isso é apenas o começo do que ela planeja fazer quando se trata de música e composição.

4 – Mcclendon – ‘Omen’: “Omen” é um single épico que poderia ser trilha sonora de um filme. Sobre um fundo de sintetizador analógico, Mcclendon transporta-nos para o seu mundo com grandes golpes de guitarras acústicas envolventes. Ele então pinta um quadro lírico de desolação, um certo tipo de “indie rock apocalíptico”, para usar as palavras de seu co-produtor Tommy Champion. Sentado entre o psicodélico, o filosófico e o paranormal, “Omen” é um novo exemplo da singularidade artística de Mcclendon.

5 – Ian Hooper – ‘Dry Your Tears’: “Dry Your Tears”, lançado pela Warner Music Central Europe, marca o segundo single da carreira solo de Ian Hooper.

O cantor e compositor irlandês-americano é mais conhecido como o vocalista do trio Indie-Folk MIGHTY OAKS, com quem comemorou dois álbuns no Top 10, shows esgotados, aparições em festivais como Rock am Ring e Lollapalooza, além de convidado especial slots para Kings of Leon e Chvrches.

“Dry Your Tears” – uma música pop acelerada fortemente apoiada em sintetizadores, guitarras elétricas atmosféricas e em uma batida contagiante – segue seu single solo de estreia “Here To Stay” no outono passado (APC # 140 alemão) e oferece um segundo vislumbre sobre o que podemos esperar do álbum solo de estreia de Hooper no final do ano de 2023.

Ian Hooper produziu “Dry Your Tears” junto com seus amigos Tobias Kuhn (The Kooks, Milky Chance) e Philipp Steinke (Boy)

6 – Ryder The Eagle – ‘Eloïse’: Como seria se Julian Casablancas estivesse cantando em um filme de David Lynch? “Eloise”, do novo álbum do Ryder The Eagle, “Megachurch”, nos dá um gostinho disso. Esta serenata cinematográfica de David Lynch é uma ode à sua namorada Eloise e ao conceito de verdadeiro romance. É a melhor canção de amor reconfortante, misturada com a sagacidade usual de Ryder. Com sua produção lo-fi dos anos 80 e sentimentos hi-fi, Eloise se destaca como a peça central do álbum, uma balada de esperança para os corações partidos.

7 – Nikki Oliveira – ‘How Things Used To Be’: O novíssimo single “My Second Home” já está disponível em todas as plataformas digitais

8 – Moon and Aries – ‘Never For Me’: “Never For Me” é um hino para todos que buscam empoderamento. Qualquer pessoa que não concorde com os termos e condições desta matriz e queira mais de sua vida. Qualquer um que não prescreva para as pessoas ou corporações que te tiram do caminho do amor, da liberdade e da libertação! Obviamente, existem leis e regras para ter um nível de estrutura e ordem, mas há muitos programas sem sentido em execução neste mundo 3D. Você tem o poder de dizer não ao que não serve ao seu bem maior. Você tem o poder de cancelar a assinatura de baixas frequências que tentam mantê-lo para baixo!

9 – Imelda Gabs – ‘Thieves’: Com os vocais poderosos de Imelda Gabs e produção dinâmica, ‘Thieves’ vai fazer você dançar a noite toda (e dia!) enquanto carrega letras profundas e significativas. Esta faixa de Pop Dance produzida por ela mesma e seu videoclipe servem como uma grande provocação para o próximo álbum de estreia de Imelda, marcado para 14 de abril.

10 – Morgan Toureau – ‘My Soul Will Last’: Morgan Toureau nasceu em 14 de janeiro de 1989 em Rochefort S/Mer, França e mudou-se para a cidade de Angoulême em Charente quando tinha quatro anos. Ele é filho de pais autônomos cuja mãe é musicista de acordeon e piano. Ainda muito jovem aproveitou o piano em casa onde aprendeu a tocar sozinho, mas foi à bateria que mais quis dedicar-se, começando por uma bateria feita de pufes de latão e escalas. Mais tarde será-lhe emprestada uma bateria a sério, ingressará na escola de música Art Blakey em Angoulême onde vencerá vários anos consecutivos de concursos na categoria de Jazz. A partir daí, ele tocará com vários grupos musicais. Criativo, decide lançar seu primeiro álbum [Expressão Autodidata | 2021 LANDR], com seus próprios instrumentos que tocará no teclado, seu próprio sistema de gravação e seu som único assume a bateria para cada uma de suas músicas para trazer um grão de som ao vivo e vintage. Em 2022, após várias formações aceleradas no mundo da masterização, mistura, gravação, Morgan volta-se para um estilo POP em que canta. Ele compõe (letra e som) depois produz essa música com a colaboração da cantora Lolia [My Soul Will Last lançado em março de 2023].