Internet

Advogada que publicou nota da Choquei abandona o caso: “Decisão institucional”; veja vídeo

Advogada que publicou nota da Choquei abandona o caso: “Decisão institucional”; veja vídeo
Foto: Reprodução

A advogada, professora universitária e ex-BBB Adélia Soares afirmou que seu escritório de advocacia não vai representar a Choquei no caso da notícia falsa que teria colaborado para a morte da jovem Jéssica Canedo, de 22 anos.

Na semana passada, algumas páginas de fofoca, incluindo a Choquei, publicaram prints de uma suposta conversa entre a moça e o humorista Whindersson Nunes. A notícia era falsa e foi negada por ambas as partes. Entretanto, Jéssica passou a ser alvo de ataques nas redes sociais.

“Cuidado com o que vocês falam. Vocês não sabem como está o psicológico de quem está recebendo os xingamentos e as ameaças”, disse Jéssica.

Na noite de sexta-feira (22), a família de Canedo informou que ela tirou sua própria vida. “Infelizmente perdi uma amiga, por conta de mentiras, por conta de ataques na rede social. Amiga, que Deus te dê um bom lugar. Descanse em paz”, publicou Vitória Santos, uma amiga de Jéssica.

Advogada abandona o caso Choquei

A Choquei está sendo acusada de ser uma das responsáveis pela onda de ataques que teria afetado a saúde mental de Jéssica. No sábado (23), a página emitiu uma nota se isentando da culpa. O documento foi redigido pelo escritório de Adélia Soares.

Entretanto, a advogada afirmou que a Choquei não será representada por ela, e que ela só assinou o comunicado em que a empresa se exime de qualquer responsabilidade.

“Eu quero deixar bem claro que nós não iremos atuar nesse caso, nós não somos advogados da Choquei nesse caso”, ressaltou Adélia em um post no Instagram. “Em relação a essa situação, a Choquei, que é a página, os administradores da página procuraram o escritório apenas para fazer uma nota, uma manifestação, uma resposta pública para eles”, afirmou a advogada.

“O escritório apenas emitiu a nota, não vai atuar nesse caso, inclusive foi uma decisão institucional que o escritório não vai atuar nesse caso”, completou ela.