Figurinista de “Cruella” revela ter sido ignorada em licenciamento de coleção para o filme: “Fiquei um tanto horrorizada”

Figurinista de "Cruella" revela ter sido ignorada em licenciamento de coleção para o filme: "Fiquei um tanto horrorizada"
Publicidade

No último mês, a Disney nos presenteou com o incrível live-action sobre a história da maior estilista do universo dos estúdios, “Cruella”. O filme conta com um roteiro extremamente bem trabalhado e cheio de easter eggs para os fãs da vilã e traz figurinos incrivelmente avassaladores, mas quem achou que esse filme ficaria livre de polêmicas, estava enganado.

Publicidade

No início desse mês, a figurinista ganhadora de duas estatuetas do Oscar, Jenny Beavan, que assina todos os figurinos do filme, revelou com exclusividade para a revista Variety, que a Disney lançou uma linha inspirada em “Cruella”, sem fazer qualquer consulta a ela. Segundo Beaven, durante a produção do longa-metragem, ocorreram conversas sobre uma linha de produtos para a Target e Singer, porém, após o fim das gravações e com o início da pandemia, o assunto acabou ficando de lado, bom, pelo menos, foi o que ela pensou.

A figurinista revelou que ficou sabendo sobre a linha de produtos do filme, através de um post no Instagram, enviado por um de seus amigos que ficou curioso sobre seu envolvimento nas peças presentes na linha licenciada para a “Rag & Bone”.

Publicidade

“Eu fiquei um tanto horrorizada” – afirmou a figurista que continuou – “O negócio sobre ‘Cruella’ é que você tem um filme sobre moda, sobre duas estilistas. A história toda são elas quase fazendo uma guerra utilizando da moda. Então, é muito desrespeitoso da parte deles lançar uma linha de moda [desta forma].”

Leia também: “Call Me Cruella”: Florence + The Machine interpreta música-tema de novo filme da Disney

Porém, aparentemente, Beavan não é a primeira figurinista a sofrer com esse tipo de situação, já que no ano passado, o filme “Aves de Rapina” ganhou uma coleção licenciada exclusiva pela loja “Her Universe”, sem o conhecimento de Eric Benach, figurinista do filme.

Publicidade

Com essa situação, a luta dos figurinistas para serem creditados por seus próprios trabalhos, voltou a ser pauta em Hollywood, já que como afirmado por Anna Wyckoff, diretora de comunicações da CDG (Costume Designers Guild), “um figurino tem uma longa vida após o projeto, em merchandising, brinquedos e fantasias de halloween.”

Já o presidente da CDG, Salvador Pérez Jr, afirma que o figurinista muitas vezes não é autorizado a participar do processo de reprodução de seus figurinos em coleções e brinquedos, sendo ainda “esquecido” e não creditado nos produtos. Ele ainda levanta o ponto de que todos os produtores, diretores, atores, musicistas e até mesmo os assistentes de direção, recebem uma porcentagem por seu trabalho e que os figurinistas também merecem uma quantia justa por suas criações. Pérez ainda finalizou dizendo que eles são “contratados para fazer o design para o filme/série, não para merchandising.”

A Variety tentou contato com a Walt Disney Studios, porém, não obteve resposta.

Publicidade

Fonte: Variety