POP Mais nas redes sociais

O que procura?

Música

Alok leva as vozes ancestrais dos povos indígenas ao mundo no Global Citizen Live

Alok leva as vozes ancestrais dos povos indígenas ao mundo no Global Citizen Live
Alok - Imagem: Divulgação

Alok vem ampliando sua trajetória junto à causa indígena. Além do trabalho musical com os indígenas para seu primeiro álbum, Alok anunciou também a realização de documentário com a produtora Maria Farinha Filmes – que joga luz sobre a importância de ressignificar o passado e entender como as tecnologias ancestrais vindas do conhecimento e da conexão dos povos indígenas com a natureza é o caminho para a humanidade alcançar um futuro sustentável – o artista foi a Brasília apoiar a mobilização “Marcha pela Vida”, ocorrida em agosto.

Por sua vez, o Instituto Alok apoia e desenvolve projetos para a preservação da cultura indígena e desenvolvimento de negócios sustentáveis para as aldeias.

Confirmado como headliner do Global Citizen Live (evento global, transmitido simultaneamente em 100 países) que objetiva alertar os líderes mundiais, a sociedade e corporações na prioridade das questões relativas as mudanças climáticas, fome e inclusão – o DJ mostra, mais uma vez ao mundo, a importância de honrarmos as nossas origens.

Leia também: Na Transilvânia, Alok retorna aos palcos e pede amor aos índios brasileiros

Diretamente da Amazônia, Alok percorre as vozes ancestrais indígenas e traz ao evento neste sábado seu trabalho musical com os povos Yawanawá, Huni Kuin e Guarani. O DJ atenta para o aprendizado que devemos ter junto aos indígenas no trato com a natureza e mãe Terra.

“Aprendi que os cantos indígenas são as vozes ancestrais da floresta e diante o momento urgente que vivemos devido às mudanças climáticas, é preciso ouvir o que a floresta tem a nos dizer. Sirvo apenas como uma ferramenta para ajudar a levar as vozes indígenas para além da aldeia, como parte de um compromisso em retribuição ao que esses povos fazem historicamente para preservar as florestas. Respeitá-los não é uma opção mas uma reparação histórica necessária. Como aprendi com Célia Xakriabá, uma das roteiristas do documentário e hoje minha amiga, “antes do Brasil da coroa, existia um Brasil do cocar”, diz Alok.

A apresentação ocorre no sábado, 25, a partir das 23h e será transmitido no Brasil pelo canal Bis com entradas no Multishow e Globo. Mundialmente será transmitido pelos canais: BBC, ABC, ABC News Live, Australia’s Channel 9, Brazil’s Multishow and Bis, France’s TF1/TMC, Singapore’s Mediacorp, ABC, ABC News Live, BBC, FX, iHeartRadio, Hulu, The Roku Channel, YouTube, TIME, Twitter e outros.

Publicidade

Anúncios
Anúncios
error: Conteúdo protegido!