Ex-mulher acusa presidente da Universal Music Brasil de internação à força; artistas seguem calados

presidente universal music brasil
Publicidade

No final de julho, veio à tona a notícia de que Helena Tavares de Souza registrou ocorrência contra seu marido, o executivo Paulo Lima, presidente da Universal Music Brasil, o acusando de tê-la mantido em “cárcere privado” por não se conformar com o pedido de separação.

A ex-mulher do executivo foi diagnosticada como bipolar por uma psiquiatra indicada pelo presidente da gravadora. Ela foi internada em outubro de 2019 e permaneceu no estabelecimento durante 21 dias.

Publicidade

Lima afirma que a internação não foi forçada, e em nota à revista VEJA, seus advogados apontam que o processo “foi indicado e conduzido por três médicos especialistas, que atestaram a necessidade da medida”.

Ainda segundo a VEJA, um inquérito foi instaurado e o relatório final está prestes a ser encaminhado ao Ministério público do Rio. Ainda segundo a reportagem, mais de dez pessoas prestaram depoimento e cinco especialistas, entre médicos e psicólogos, enviaram laudos sobre o estado de saúde de Helena, a maioria atestando que ela nunca sofreu de distúrbios mentais.

Noticiado em 30 de julho, o caso segue sem grande repercussão, principalmente por parte da classe artística. A coluna de Léo Dias já havia falado a respeito também em maio deste ano.

Publicidade

Agora, também segundo Léo Dias, o executivo irá se casar novamente, em dezembro. Sobre o assunto ele teria pedido discrição, além de que vários artistas irão cantar na cerimônia.