Vitor Federado carrega na emoção em novo lançamento no trap

Vitor Federado
Publicidade

O ciclo da vida em forma de narrativa musical: após a leve e apaixonada Passo às 6, Vitor Federado carrega na emoção em uma batida trap com o lançamento de Nossa Vibe. O relacionamento da história, que agora chega ao fim, é quem dá as cartas dessa canção, como diz o trecho: “E agora, que faço se essa chuva cai lá fora? Me fez pensar no que sobrou da história. A cada gota, vem uma lembrança do que sobrou de nós.”. Produzido pela 48K, o novo single foi composto por Federado em parceria com Sabrina Lopes e Mateus Melo.

“Términos de relacionamento nos fazem crescer e entender para onde devemos ir. A gente costuma se culpar, tentar entender o que aconteceu. Mas a letra retrata bem esse primeiro momento em que nos sentimos sozinhos em casa, logo após a partida daquela pessoa”, diz o artista. Para arrematar a narrativa, a personagem é vivida pela mesma atriz, Gleise Kelly Bugah, nos dois clipes lançados pelo artista. 

Publicidade

Dirigido por Ícaro Bravo, o drama foi vivido à flor da pele na gravação, que contou também com a experiência de Federado nas artes cênicas para ainda mais autenticidade. A essência do artista também pode ser vista na sua forma de cantar, com arranjo que ganhou batidas de trap. “Quero cada vez mais me arriscar em coisas novas. O ritmo R&B me permite passear por tudo o que tenho vontade de trabalhar, como o trap, o black, o samba, o pop. Com as letras, eu quero tocar o coração das pessoas”, completa.

Nossa Vibe está disponível no canal oficial do artista no YouTube e também em todos os aplicativos de música. O próximo lançamento, Novidade, vai seguir com a narrativa da nova fase artística de Federado e tem previsão de lançamento para os próximos meses.

Sobre Vitor Federado

Ator, cantor e compositor, Vitor Federado engloba vários estilos em um único caminho artístico: o groove do R&B contemporâneo, a sagacidade do pop, o respeito do rap e a cadência do trap. Criado desde cedo entre as principais rodas de samba da capital paulista, ele tem em sua essência referências de diferentes estilos musicais. Com apenas 13 anos de idade,  passou a integrar oficialmente a bateria da Escola de Samba Vai-Vai como ritmista. Foi a partir dali que seu gosto pela música começou a aflorar e o desejo pela composição se tornou mais evidente. Sua maior inspiração sempre foi seu tio, o músico Guto Bocão, percussionista do Racionais MCs e um dos diretores de bateria da Vai-Vai. 

Publicidade

Como percussionista, Vitor já tocou com nomes como o maestro João Carlos Martins e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, além de ser o mais novo a cantar no Cacique de Ramos, um dos blocos de carnaval mais conhecidos e tradicionais do Rio de Janeiro. Atualmente, segue como intérprete da Ala Show da Vai Vai e trabalha em sua carreira de músico e ator. Há cinco anos se dedicando à sua carreira autoral, Vitor já tem trabalhos lançados como o EP Vitor Federado, Volume 1 e os singles Tão Linda, Dog e Bloquinho.

Ator por formação, Vitor participou da série brasileira produzida pela TV Cultura, Pedro & Bianca, que foi premiada pelo Emmy Kids Awards em Nova York. Além disso, também teve participações pontuais em novelas da Rede Globo. O artista transmite em sua carreira musical a sua vocação nas artes cênicas. “A música é meu refúgio de atuação, eu faço dela a minha trama, o meu drama. Eu coloco nela histórias que eu vejo, que eu passei. Tive que fazer das minhas canções a minha televisão, o meu próprio teatro”, finaliza.