Evaristo Costa volta a falar sobre demissão da CNN e se oferece para apresentar o BBB: “esperando a ligação do Boninho”

Evaristo Costa
Publicidade

Na última segunda-feira (13), Evaristo Costa respondeu algumas perguntas enviadas por seguidores no Instagram, e revelou que não recebeu um pedido de desculpas ou uma retratação da CNN, depois da forma como alegou ter sido demitido pela emissora. No início do mês, o jornalista disse que ficou sabendo do seu desligamento assistindo a um intervalo comercial da emissora e notando a ausência de seu programa na chamada.

Pela forma desrepeitosa com que me trataram? Não se retrataram e estão tentando justificativa para dizer que desvirtuei minha demissão. E, sinceramente, espero que nunca mais se dirijam a mim. Sendo 0 não indignado e 10 máximo de indignação, minha resposta é 10. Foi um prazer e um desprazer maior ainda”, disse. “Poderiam alegar o que quisessem, é direito deles demitir. O que nenhuma empresa pode fazer com funcionários corretos é apunhalar pelas costas e de forma desrespeitosa. O que faz com um, faz com todos”, alegou.

Publicidade

Ainda durante a interação com fãs, ele contou que agora pretende tirar um período sabático e disse já ter recebido três propostas de emprego. Empolgado, ainda brincou com a possibilidade de assumir o “BBB 22”, que continua sem apresentador definido depois que Tiago Leifert revelou que vai deixar a TV Globo. “Esperando a ligação do Boninho, ué! Pode ser para ser um confinado também (risos)”, declarou o jornalista.

A CNN anunciou o desligamento de Evaristo em 3 de setembro. Na época, ele comentou sobre a forma como foi tratado. “Na hora de me contratar, aceitaram todas as minhas exigências, com carpete vermelho, e na hora de me dispensar me chutaram pelas porta dos fundos sem qualquer consideração ou justificativa. Não fui eu que pedi para trabalhar lá, eles vieram insistir diversas vezes aqui em Cambridge [na Inglaterra], onde vivo. Mas eu honrei com tudo que prometi. Não questiono a demissão, questiono a forma como ela se deu”, afirmou Evaristo em entrevista ao F5.

Publicidade