POP Mais nas redes sociais

O que procura?

Opinião

Opinião | Rede Record faz matéria criticando o Halloween e sua origem, mas esquece da origem da Páscoa e Natal

Opinião | Rede Record faz matéria criticando o Halloween e sua origem, mas esquece da origem da Páscoa e Natal
Halloween - Imagem: Reprodução

No último domingo (01/11), a TV Record veiculou uma matéria sobre os perigos do Halloween em seu programa dominical, “Domingo Espetacular”. Segundo a emissora, a festividade é perigosa pois além de uma origem pagã, traz problemas psicológicos para as crianças e não é uma festa nacional.

Vamos começar falando do fato que o Halloween, assim como Natal e Páscoa não são festas brasileiras e também são festividades pagãs que foram usurpadas pela igreja para facilitar a aceitação dos povos na época em que o cristianismo começou a se espalhar e matar culturas ao redor do globo.

O Natal, agora ensinado que é o nascimento de Jesus, já teve vários significados culturais, desde comemorações em homenagem a deuses de diversas culturas, além da comemoração do solstício de inverno.

A Páscoa teve mais detalhes roubados ainda, já que na antiguidade, era a comemoração da primavera e para a deusa da fertilidade Ostara. Onde muitas vezes ela era representada com um coelho em seu colo e ovos em seus pés, muito semelhante ao que vemos hoje, não é mesmo?

Leia também: Jornalismo verdade? Record TV inventa explosão de shopping durante o “Fala Brasil”

Outro fato citado durante a reportagem é que nos países de origem do Halloween, o significado religioso não é mais lembrado, isso é uma prova da pesquisa extremamente rasa feita pela equipe de jornalismo da emissora, já que as vertentes religiosas e crenças antigas estão crescendo principalmente nos Estados Unidos.

Existem milhares de bruxas ao redor dos Estados Unidos e até mesmo no Brasil, que já conta com mais de 300 mil praticantes, que ainda realizam a prática religiosa do sabbat.

A emissora ainda tentou adicionar que a comemoração pode corromper e trazer traumas psicológicos, citando até mesmo um vídeo de uma criança sendo assustada por pessoas fantasiadas, mas neste caso, a irresponsabilidade foi dos país da criança.

Ainda foi citado que fantasiar as crianças como monstros é algo desnecessário, pois expõe a criança a um clima sádico. Porém, novamente é responsabilidade dos tutores onde a criança será exposta e do que exatamente ela irá se fantasiar, já que muitas pessoas que não gostam de terror, se fantasiam de personagens de desenhos animados ou de outros conteúdos mais leves.

Em resumo, a matéria da TV Record foi completamente focada em tentar criticar e distorcer uma festividade não cristã como se as festividades usurpadas não tivessem um fundo semelhante. Isso prova que o único conteúdo original minimamente consumível da emissora é o reality “A Fazenda”, que ainda traz momentos podres e sem fundamento algum.

Ah, e quanto ao menino que deu um “depoimento” claramente ensaiado durante a reportagem que eu só fiz rir, da próxima vez façam algo mais realistíco.

Publicidade

Anúncios
Anúncios
error: Conteúdo protegido!