POP Mais nas redes sociais

O que procura?

Música

Tartamudo desliza pela música eletrônica climática em sua coleção de temas “Respiro”

Duo de Brasília, formado por Wilton Rossi e Zepedro Gollo, apresentam disco baseado em uma sonoridade que varia entre criações ruidosas e distorcidas até melodias ambient sensoriais e imersivas: menos pista, mais chillout

Tartamudo desliza pela música eletrônica climática em sua coleção de temas "Respiro"
Foto: Divulgação

Um outro nome, menos usual, para aquele indivíduo a quem chamaríamos de gago. Tar- ta-mu-do. Um polissílabo assaz sonoro para definir aquele tipo de sujeito com certo impedimento na expressão oral, na dicção, na articulação de pa-la-vras.

Wilton Rossi e Zepedro Gollo gaguejam de propósito. Na linguagem musical proposta por este duo instrumental, o tropeçar num mesmo som é a própria experiência estética em que se lançam e apresentam “Respiro”. A coleção de temas, disponíveis em todos os aplicativos de música, é guiada por paisagens criadas pela manipulação de guitarras e teclados que, muitas vezes, substituem totalmente os sons em que se baseiam originalmente, levando calma para quem se permite ouvir consigo próprio. Talvez, com fones de ouvido, dentro de um quarto, deitado no sofá ou na cama. Vivendo o poder da reflexão e introspecção.

Advertisement

Esse é o contraponto.

Enquanto o primeiro EP do projeto, “Apneia”, era marcado por uma sonoridade mais agressiva, esse dá menos ênfase ao peso e aborda ritmos mais lentos. É menos pista, mais chillout.

Advertisement

“A verdade é que nós fazemos rock como se fôssemos artistas de música eletrônica, fazemos música eletrônica como se fôssemos artistas de uma banda de rock”.

Faixa a faixa, registro surge do diálogo que vem sendo construído, há alguns anos, em ensaios semanais na pontinha da Asa Sul, quadra 714, Plano Piloto, Brasília, Distrito Federal.

Tudo começa na maciota e tem a atmosfera contemplativa. Mas, ainda assim, um certo nervosismo contido.

“Esse registro é bem climático. Usamos muitos elementos analógicos, mas sem dispensar os recursos e sons digitais. Gostamos de incorporar os tropeços e tratá-los como peças criativas. Nesse trabalho, nós nos sampleamos, desaceleramos e subvertemos nossas próprias obras. Como de costume, fazemos tudo intuitivamente, na sintonia. O processo mistura composição, arranjo e mixagem ao mesmo tempo. Gravamos tudo que der vontade de tocar e entendemos que o nosso trabalho se comunica com o corpo, operando com base no volume e na repetição. É um convite para sair do cotidiano e relaxar”.

As influências do duo vão da repetição do krautrock (Neu!, Kraftwerk, Can), à música minimal e aos tape loops da avant garde (Philip Glass, Steve Reich, Terry Riley), passando pelo ruído da No Wave e do Velvet Underground, chegando até à linguagem visual do cinema experimental (Chris Marker, Kenneth Anger, Robert Frank).

Sim. Tartamudo é um duo de instrumentistas envolvidos em diversas outras expressões artísticas. “Somos influenciados e dialogamos com artes plásticas e visuais, cinema, dança, arquitetura, performance, teatro, quadrinhos e até literatura. Há de fato algo no som que nos faz tocar confortavelmente em galerias de arte, festivais ou rua. Há uma comunicação puramente musical, sem palavras, com movimento, tempo e espaço. Muito papo furado pra uma banda que não diz nada. Mas nossa voz conversa além do texto, fala num outro plano. Ou tenta. Seremos ouvidos?”

Acompanhe as últimas notícias do canal:

SIGA NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY

Facebook

Anúncios
Anúncios

Bombando!

Música

Fãs de Pabllo Vittar em alerta! Isso porque circula na web um rumor de uma colaboração entre a drag brasileira e a cantora Marina...

Música

A Garota do Rio tá vindo aí? Pelo visto sim! Na manhã desta segunda-feira (25) alguns artistas e influencers começaram a compartilhar nas redes...

TV

Faustão está de saída da Globo! A informação foi divulgada nesta segunda-feira (25) pelo colunista do R7 Flávio Ricco, que inclusive é amigo pessoal...

Anúncios